quarta-feira, 16 de Maio de 2012

AS DEZ VIRGENS

Você já foi apanhado pela surpresa e ficou arrependido por não estar preparado? Como se sentiu? Com remorso? Com arrependimento? Com raiva?
Jesus, o Mestre dos mestres tirava lições maravilhosas de acontecimentos comuns do dia-a-dia. Ele amava a natureza. E muitas das lições que passou aos Seus discípulos foram tiradas de suas longas caminhadas.
E um dos métodos que Jesus usava para ilustrar, era por meio de parábolas. Jesus ligava a verdade divina aos acontecimentos do dia-a-dia de pessoas comuns.
A parábola das Dez Virgens está relatada em Mateus 25 nos versos 1 ao 13.
Jesus e Seus discípulos estavam assentados no Monte das Oliveiras. O Sol estava se escondendo, e as sombras da noite cresciam sobre a Terra. Do alto do monte dava para ver que haveria uma festa de casamento.
Ainda hoje, em muitas regiões do Oriente a festa de casamento é realizada à noite.
E naquela noite a luz espalhava-se pelas janelas e aberturas da casa, e um grupo que estava à espera indicava que o cortejo nupcial estava prestes a acontecer.
Quando Jesus, sentado, contemplava o grupo que aguardava o esposo, contou aos discípulos a história das dez virgens, ilustrando pela experiência delas, o que a igreja viveria justamente antes da Sua segunda vinda.
E a parábola começa quando o noivo partiu ao encontro da noiva. E pela claridade das tochas dava para se ver que um banquete era oferecido a todos os convidados.
Do lado de fora da casa da noiva, dez virgens trajadas de branco esperavam a chegada do esposo para o acompanharem desde a casa da noiva até a casa do noivo. Elas seguravam uma lâmpada, que era uma espécie de tocha que consistia em uma longa vara, na extremidade superior da qual era inserido um vaso com azeite, contendo um pavio.
Houve uma demora e as dez virgens adormeceram. À meia-noite ouviu-se um clamor: “Aí vem o esposo, saí-lhe ao encontro.” As virgens acordaram assustadas e levantaram-se. O cortejo aproxima-se resplandecente de tochas e com muita música. Ouvem-se as vozes do esposo e da esposa.
As dez virgens tomam as suas lâmpadas e começam a acendê-las, com pressa para partir. Acontece que cinco dessas virgens tinham deixando de encher o vaso que era o recipiente onde se colocava o azeite. Elas não previram que o cortejo ia atrasar-se, e não se prepararam para uma emergência.
Ficaram muito aflitas e correram para as outras cinco que eram prudentes e disseram: “Dá-nos do vosso azeite, porque nossas lâmpadas se apagaram”. Mas as outras cinco, cujas lâmpadas, estavam acesas, tinham seus frascos vazios, pois haviam usado o azeite em suas próprias lâmpadas.
Não tinham azeite de sobra e responderam: “Não seja caso de que nos falte a nós e a vós, ide antes aos que o vendem, e comprai-o para vós.” Enquanto foram comprar, o cortejo se foi e as deixou.
As cinco virgens, com as lâmpadas acesas, se uniram à multidão, entraram na casa com o cortejo nupcial e a porta foi fechada. Quando as virgens imprudentes chegaram ao vestíbulo da casa do banquete foram convidadas a se retirarem.
O anfitrião declarou: “Não vos conheço.” E foram abandonadas ao relento na rua solitária, nas trevas da noite.
O que Jesus quis ensinar com a parábola das dez virgens? O que ela representa para nós?
Os dois grupos de virgens representam as duas classes de pessoas que professam esperar a volta do Senhor Jesus. São chamadas de virgens porque professam a fé pura. As lâmpadas representam a Palavra de Deus, a Bíblia.
O salmista diz: “Lâmpada para os meus pés é a Tua palavra, e luz para o meu caminho.” Salmo 119:105.
O óleo é o símbolo do Espírito Santo. Sem o Espírito de Deus, nada vale o conhecimento da Palavra.
A teoria da verdade não acompanhada do Espírito Santo, não pode santificar o coração.
A segunda vinda de Cristo certamente não tardará. Jesus prometeu e a Sua promessa é certa. Na parábola a vinda do esposo foi à meia-noite, a hora mais escura. Assim a vinda do Senhor Jesus será no período mais escuro da história deste mundo.
Apontando para o tempo da segunda vinda, a Bíblia declara que Satanás trabalhará com todo poder, “e realizará sinais e prodígios de mentira, com todo engano e injustiça.” II Tessalonicenses 2: 9 e 10.
As dez virgens estão à espera na noite da história deste mundo perverso e contaminado pelo pecado. Todas as virgens dizem ser cristãs. Todas têm vocação, todas têm nome, todas estudam a Bíblia, todas pensam estar a fazer o que Deus quer. Todas aguardam aparentemente a volta de Jesus a esta Terra.
Cinco porém, estão desprevenidas, despreparadas. Cruelmente desprevenidas. Cinco serão surpreendidas, aterrorizadas. Cinco serão encontradas fora do recinto do banquete.
No dia final, muitos hão-de dizer: Por que estamos do lado de fora? Nós sempre fizemos o que Deus queria? Nós não profetizamos em Teu nome? E em Teu nome não expulsamos nos demónios? E em Teu nome não fizemos maravilhas?
Porém a resposta será: “Não sei de onde sois vós; apartai-vos de mim.” Mateus 7:23
Nós devemos estar preparados para a Volta de Jesus. Como? O que devo fazer para não ser uma pessoa imprudente?
O segredo da preparação está na devoção diária com Jesus. É impossível que uma pessoa que professe e viva uma fé sem mácula não faça parte do banquete que Jesus está preparando para Seus filhos.
O que Jesus quer de nós é a verdadeira entrega. É dar o coração, é deixar que o Espírito de Deus dirija a vida. É estudar a Palavra de Deus. É conversar com Deus e pedir a Ele orientação do caminho a seguir. É pedir que o Espírito Santo deixe a nossa lâmpada iluminada e também pedir a Ele reservas, para não sermos pegos de surpresa.
Jesus em breve virá – Prepare-se.

Sem comentários: