segunda-feira, 8 de Fevereiro de 2010

A MISSÃO E O ESPÍRITO SANTO

Actos 1:8
Quando lemos as Escrituras Sagradas, em particular o Novo Testamento, somos logo esclarecidos de que a obra missionária é uma acção conjunta da Santíssima Trindade. Em Génesis 3:15 e João 3:16.

A MISSÃO E A TRINDADE

1. O Pai é o Grande Arquitecto da acção missionária, foi ele quem deu o primeiro passo, se assim podemos dizer, na formação da missão.
2. O Filho é o "Elemento Fundamental" da acção missionária, Ele é a missão em si mesmo, o grande propósito pelo qual ela existe. O Apóstolo Paulo ao falar do Filho disse: "Porque dele, e por ele, e para ele, são todas as coisas..." (Rom. 11:36). E o Apóstolo João disse: "...sem ele nada do que foi feito se fez." (João 1:3).
3. Já o Espírito Santo é o Grande Implementador da acção missionária como podemos ver em Actos 1:8 e também em João 14.
• Se voltarmos os nossos olhos para Lucas 9:1 vemos que o Jesus quando enviou os doze apóstolos pela primeira vez lhes deu δύναμις (dunamis) - poder. Este mesmo "dunamis" (poder) é prometido à Igreja toda em Actos 1:8. Portanto, sem o Espírito Santo, dificilmente a acção missionária terá êxito.
• É importante lembrar também que o envolvimento da Trindade na acção missionária não deve ser entendida como uma acção passada, como se a obra do Pai e do Filho já estivesse concluída e só o Espírito Santo estivesse em acção neste presente momento.
• Só há um Deus, e este Deus continua plenamente envolvido na acção missionária. O Pai continua a sustentar e a validar a missão, o Filho continua a ser o Elemento Fundamental da missão e o Espírito Santo continua como o Grande Implementador da obra missionária e assim será até que Mateus 24:14 se cumpra:
"E este evangelho do reino será pregado no mundo inteiro, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim."

A MISSÃO A ORAÇÃO E A PALAVRA


• No entanto hoje eu quero reflectir um pouco com os irmãos sobre a acção do Espírito Santo na obra missionária. Em Zacarias 4:6 nós podemos ler uma advertência do Senhor muito interessante: "Não por força nem por poder, mas pelo meu Espírito, diz o Senhor dos exércitos."
• O texto deixa perceber que a obra do Senhor em atrair para si homens e mulheres não será uma obra realizada por uma força externa, ou por uma persuasão moral, ou por eloquência, mas pelo poder de Deus, pela acção do Espírito Santo na vida daqueles que falam e daqueles que ouvem a Palavra de Deus.
• O Apóstolo Paulo não descartava o poder de Deus na Palavra de Deus. Em Romanos 1:16 o Apóstolo diz que o Evangelho é "dunamis" (poder) de Deus para a salvação daquele que crê. Quando a Palavra de Deus é aberta, lida e pregada o "dunamis" de Deus entra em acção para salvar aquele que está perdido.
• Quando Pedro e João são presos e levados perante o sinédrio, a Igreja empenhou-se em oração, percebo pelas orações deles, que também não desvalorizavam o poder de Deus da Palavra de Deus. Vejamos o que eles oraram: "Agora pois, ó Senhor, olha para as suas ameaças, e concede aos teus servos que falam com toda a intrepidez a tua palavra, enquanto estendes a mão para curar e para que se façam sinais e prodígios pelo nome de teu santo Servo Jesus. E, tendo eles orado, tremeu o lugar em que estavam reunidos; e todos foram cheios do Espírito Santo, e anunciavam com intrepidez a palavra de Deus." (Act. 4:29-31).
• Qualquer manifestação do Espírito Santo é acompanhada da Palavra de Deus e de sincera oração. Não consigo conceber manifestações ditas do Espírito Santo, que não tinham como base as Escrituras Sagradas e a oração.
• Creio que estas duas chaves são o segredo da vitória. Não tanto a organização, a planificação. Sinceramente creio ser necessária alguma. Mas não deve ser o ponto central.

A MISSÃO E OS PLANOS

• A minha experiencia: Quando comecei o meu ministério, não tinha nada organizado a não ser a escala dos cultos. O estudo da palavra de Deus a oração e a proclamação nas ruas, nas casas e na igreja. Era toda a nossa organização e sentíamos o poder do Espírito Santo.
• Não motivávamos os irmãos a fazer fosse o que fosse, no entanto todos trabalhavam.
• Quando fui chamado para a União, foi-me dito: “cremos que ensine os pastores e as igrejas a fazerem como faz.” Conclui em pouco tempo que isto não se ensina.
• Esta era a postura da Igreja Neotestamentária, dar ênfase ao poder do Espírito Santo na exposição das Sagradas Escrituras. Em Actos 2 temos o registo do baptismo da Igreja com o Espírito Santo, houve manifestação de dons e maravilhas, o povo atraído por estas coisas ficavam maravilhados.
• Os dons, manifestavam-se: expulsar demónios. Mas manifestavam-se os dois maiores milagres do Espírito Santo: Fraternidade e Conversões.
• Estes eram o dunamis de Deus.

Quando colocamos a organização e planificação à frente da Palavra de Deus e da oração, corremos o risco de nos perdermos no caminho.

CONCLUSÃO
A Palavra deve ir à nossa frente, que possamos dizer como disse o salmista: "Lâmpada para os meus pés é a tua palavra, e luz para o meu caminho." (Sal. 119:105). Quando se é conduzido por esta Luz, forçosamente há Oração.
• Sejamos completamente rendidos ao poder do Pai, do Filho e do Espírito Santo, e então iremos experimentar os melhores planos.

O Espírito Santo


“A nós hoje, tão certamente como aos primeiros discípulos, pertence a promessa do Espírito. Deus dotará hoje homens e mulheres com poder do alto, da mesma maneira que dotou aqueles que, no dia de Pentecostes, ouviram a palavra de salvação. Nesta mesma hora Seu Espírito e Sua graça se acham à disposição de todos quantos deles necessitam e Lhe pegarem na palavra. Testemunhos Selectos, vol. 3, pág. 210.
A promessa do Espírito Santo não é limitada a algum século ou raça. Cristo declarou que a divina influência do Espírito deveria estar com Seus seguidores até o fim. Desde o dia do Pentecostes até ao presente, o Confortador tem sido enviado a todos os que se rendem inteiramente ao Senhor e a Seu serviço.” Actos dos Apóstolos, pág. 49.

“Deus deseja refrigerar Seu povo mediante o dom do Espírito Santo, batizando-os novamente em Seu amor. Não é necessário que haja na igreja falta de Espírito Santo. Depois da ascensão de Cristo, o Espírito Santo desceu sobre os discípulos expectantes, crentes e entregues à oração, numa plenitude e poder que tocou todo coração. Futuramente a Terra há de ser iluminada pela glória de Deus. Daqueles que se acham santificados pela verdade resultará para o mundo uma influência divina. A Terra será circundada por uma atmosfera de graça. O Espírito Santo tem de operar no coração humano, tomando as coisas de Deus e revelando-as aos homens.” Southern Watchman, 5 de Setembro de 1905.

“É certo que no tempo do fim, quando a causa de Deus na Terra estiver prestes a terminar, os sinceros esforços dos consagrados crentes sob a guia do Espírito Santo serão acompanhados por especiais manifestações de favor divino. Sob a figura das chuvas temporã e serôdia, que caem nas terras orientais ao tempo da sementeira e da colheita, os profetas hebreus predisseram a dotação de graça espiritual em medida extraordinária à igreja de Deus. O derramamento do Espírito nos dias dos apóstolos foi o começo da primeira chuva, ou temporã, e glorioso foi o resultado. Até ao fim do tempo, a presença do Espírito deve ser encontrada com a verdadeira igreja.” Actos dos Apóstolos, págs. 54 e 55.

“O derramamento do Espírito nos dias dos apóstolos foi a "chuva temporã", e glorioso foi o resultado. Mas a chuva serôdia será mais abundante. Qual é a promessa para os que vivem nos últimos dias? - "Voltai à fortaleza, ó presos de esperança; também hoje vos anuncio que vos recompensarei em dobro." Zac. 9:12. "Pedi ao Senhor chuva no tempo da chuva serôdia; o Senhor, que faz os relâmpagos, lhes dará chuveiro de água, e erva no campo a cada um." Zac. 10:1.” Testemunhos Seletos, vol. 3, pág. 211.

Sem comentários: